Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

LEYA BIS – LIVROS DE BOLSO

LIVROS DE BOLSO DA COLECÇÃO BIS

LEYA BIS – LIVROS DE BOLSO

LIVROS DE BOLSO DA COLECÇÃO BIS

Livro de Gonçalo M. Tavares Os Velhos Também Querem Viver no Estado de São Paulo – "uma grande façanha da linguagem"

velhos.jpg

No jornal O Estado de São Paulo (Estadão), sobre o livro Os Velhos Também Querem Viver, saído há uma semana na editora Foz no Brasil, afirma-se: o livro é "uma grande façanha da linguagem"; e Gonçalo M. Tavares é classificado como "Caso prodigioso da literatura Portuguesa”.

A crítica Mariana Ianelli escreve no Estadão: "Caso prodigioso na literatura portuguesa, Gonçalo M. Tavares, aos 44 anos, já acumula mais de 30 livros, entre ficções curtas, romance, poesia, teatro e ensaio. Ele que já criou uma epopeia do homem contemporâneo, contrariando o fôlego curto da poesia pós­ moderna para empreitadas no género, agora transplanta Eurípides para o século 20. Os Velhos Também Querem Viver recria a tragédia Alceste, do século 5.º a.C., transpondo os personagens de um presente lendário, em Feras, na Tessália, para Sarajevo dos anos de 1990 sob o cerco do exército sérvio."

 "Numa dicção que é própria de Gonçalo, no seu tom “cruel mas exato”, o leitor verá Eurípides ressurgir, na essência de um drama atemporal, no cenário de uma Sarajevo devastada."

"Introduzindo o sarcasmo no coro dos “contabilistas”, que vagueiam pela cidade contando os mortos, e mais sarcasmo na lógica de comerciante dos que estão sempre a negociar um pouco mais de vida, Gonçalo fala de uma hipocrisia universal."

Para ler aqui.

Entretanto, no jornal O Globo escreve-se que Os Velhos Também Querem Viver é certamente mais uma aguda observação do autor sobre seu tempo (...) "O crítico aponta: "Não é o simples perguntar-se “como seria o ‘Romeu e Julieta’ do século XXI”. É um subtil deslocamento, como o pequeno mas decisivo passo para o lado que abre o novo ângulo de visão sobre um objeto."

"Gonçalo usa a figura teatral do coro para lembrar e dar corpo a um personagem que estava em Sarajevo e está em todas as barbáries atuais: “não ajudam, esses homens e mulheres, não agem — lamentam, comentam, fazem juízos, críticas ou elogios. São observadores; escolhidos por instituição absolutamente internacional e pacífica; homens e mulheres sem braços, apenas com olhos e ouvidos, o coro perfeito”, lemos numa crítica brutal a observadores internacionais e à política cada vez mais de palavras e menos de ações."

Para ler aqui.

O livro Os Velhos Também Querem Viver deverá ser levado a palco na própria cidade de Sarajevo, em 2015/2016.

Os livros de Gonçalo M. Tavares estão a ser editados e traduzidos em 48 países e distribuídos em todo o mundo. Estão em curso cerca de 290 traduções em trinta e seis línguas. Todos os seus livros estão a ser editados fora do país.

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D